Prática textual II

 

Poesia II

15/08 e 28/11

2as. feiras –  das 19h30 as 21h30  | Carga horária: 32h

O laboratório/oficina terá por objetivo o desenvolver o pensamento e a prática sobre o poema nos dias de hoje, por meio de deslocamentos dos olhares dos participantes em direção a perspectivas que permitam entrever as diversas possibilidades que a contemporaneidade nos propõe. Isso pode ser expresso nas seguintes indagações, que acompanham, de um modo ou de outro, todo poeta: o que é o poema? O que pode um poema hoje? Como fazer um poema que seja ancorado ao presente? Exercitando os olhares sobre coisas concretas, pretendemos que todos percebam em tudo quanto existe um poema potencial, num contínuo diálogo com o mundo. Nesse caminho, por meio de diversas propostas de práticas, leituras e debates, teremos também a contextualização da produção em sala com a história, alguma teoria, e as questões fundamentais da prática da poesia hoje.

Programa:

1.     Qual o lugar da tradição no contemporâneo?
2.     Visadas sobre sujeito e objeto.
3.     Entre o arcaico e o contemporâneo: a écfrase.
4.     Poesia e artifício: sob alguns andaimes da técnica.
5.     As formas enganosas.
6.     Poesia, norma e transgressão: as escolhas.
7.     Modernidade, pós-modernidade e tradição na poesia do agora.
8.     O encargo social – o que justifica a existência de um poema?
9.     Poesia, linguagem, realidade.
10.  A técnica, a espontaneidade e o real na poesia.
11.  Quatro tipos de obscuridade e o poema como transfiguração.
12.  Poema e encenação: o baile de máscaras.
13.  Atos de restrição na produção do poema.
14.  Poema e história: forma, conteúdo, teor de verdade.
15.  O poetificado de Walter Benjamin na abordagem do poema.
16.  Deslocamentos, desestabilizações e dissídios na poesia de hoje.

Orientador:

Nuno Rau

Poeta, arquiteto, professor de história da arte, tem poemas em Cronópios, Germina, Sibila, Zunai, Diversos e Afins, RelevO, Mallarmargens, e nas antologias Desvio para o vermelho, do Centro Cultural São Paulo, Escriptonita, que co-organizou, e 29 de Abril: o verso da violência. Publicou o livro Mecânica Aplicada (2017), poemas, livro finalista no 3º Prêmio Rio de Literatura e no 60º Prêmio Jabuti. É co-editor da revista mallarmargens.com desde sua fundação.

Bibliografia Básica

  • AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos Editora, 2009.

  • AGAMBEN, Giorgio. Categorias italianas: estudos de poética e literatura. Florianópolis: Editora da UFSC, 2014.

  • AGAMBEN, Giorgio. A potência do pensamento: ensaios e conferências. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

  • AGAMBEN, Giorgio. Ideia da prosa. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

  • AUGUSTO, Ronald. Decupagens assim: crítica. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2012.

  • BENJAMIN, Walter. Escritos sobre mito e linguagem (1915/1921). São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2013.

  • BENJAMIN, Walter. Baudelaire e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

  • BERARDINELLI, Alfonso. Da poesia à prosa. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.

  • BURGER, Peter. Teoria da vanguarda. São Paulo: Cosac & Naify, 2008.

  • CAMILO. Vagner. Drummond: da rosa do povo à rosa das trevas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.

  • CAMILO. Vagner. Modernidade entre tapumes: da poesia social à inflexão neoclássica na lírica brasileira moderna. São Paulo: Ateliê Editorial, 2020.

  • CESAR, Ana Cristina. Crítica e tradução. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

  • CÍCERO, Antonio. A poesia e a crítica: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

  • CÍCERO, Antonio (curadoria). Forma e sentido contemporâneo: poesia. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

  • DEGUY, Michel. Reabertura após obras. Campinas: Editora da UNICAMP, 2013.

  • DEMARCHI, Ademir. Contrapoéticas. Florianópolis: Nave Editora, 2020.

  • EAGLETON, Terry. Marxismo e crítica literária. São Paulo: Editora UNESP, 2011.

  • EAGLETON, Terry. A ideologia da estética. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

  • FAUSTINO, Mário. De Anchieta aos concretos. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

  • FAUSTINO, Mário. Artesanatos de poesia: fontes e correntes da poesia ocidental. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

  • FRANCHETTI, Paulo. Crise em crise: notas sobre poesia e crítica no Brasil contemporâneo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2021.

  • GLENADEL, Paula. Escritas pensantes: trajetos entre literatura e filosofia. Rio de Janeiro: 7Letras, 2019.

  • GULLAR, Ferreira. Uma luz do chão. Rio de Janeiro: Avenir Editora, 1978.

  • GUMBRECHT, Hans Ulrich. Atmosfera, ambiência, Stimmung: sobre um potencial oculto na literatura. Rio de Janeiro: Contraponto; Ed. PUCRio, 2014.

  • HAMBURGER, Michael. A verdade da poesia: tensões na poesia modernista desde Baudelaire. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.

  • MERQUIOR, José Guilherme. A astúcia da mimese: ensaios sobre lírica. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1972.

  • MERQUIOR, José Guilherme. As ideias e as formas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

  • MERQUIOR, José Guilherme. Formalismo e tradição moderna: o problema da arte na crise da cultura. São Paulo: É Realizações, 2015.

  • MERQUIOR, José Guilherme. Razão do poema: ensaios de crítica e de estética. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1965.

  • MESCHONNIC, Henri. Para salir de lo postmoderno. Buenos Aires: Cactus Editorial, 2017.

  • MOSÉ, Viviane. Nietzsche e a grande política da linguagem. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

  • OEHLER, Dolf. Terrenos vulcânicos. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

  • PAIXÃO, Fernando. Arte da pequena reflexão: poema em prosa contemporâneo. São Paulo: Iluminuras, 2014.

  • REDMOND, William Valentine. O processo poético segundo T. S. Eliot. São Paulo: Annablume, 2000.

  • ROCHA, João Cezar de Castro. Leituras desauratizadas, tempos precários, ensaios provisórios. Chapecó: Argos Editora, 2017.

  • SECHIN, Antonio Carlos. Percursos da poesia brasileira: do século XVIII ao XXI. Belo Horizonte: Autêntica; Ed. UFMG, 2018.

  • SCHNAIDERMAN, Boris. A poética de Maiakóvski: através de sua prosa. São Paulo: Perspetiva, 2014.

  • SCRAMIN, Suzana. Alteridades na poesia: riscos, aberturas, sobrevivências. São Paulo: Iluminuras, 2016.

  • SISCAR, Marcos. De volta ao fim: o fim das vanguardas como questão da poesia contemporânea. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016.

  • STEINER, George. Extraterritorial: a literatura e a revolução da linguagem. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

Romance II

03/08 e 07/12

5as. feiras – das 19h30 às 21h30 | Carga horária: 32h

Em breve

Programa:

  • Em breve

Orientadora:

Em breve

Em breve

Bibliografia Básica

  • Em breve

 

Oficina do conto II

03/08 a 07/12

2as. feiras – das 19h30 as 21h30  | Carga horária: 32h

Desenvolvimento de técnicas de narrativa a partir da análise crítica de contos clássicos e contemporâneos e, principalmente, da produção dos próprios participantes.
Conceitos como modelos clássicos de conto, voz narrativa, foco e estrutura da narrativa, adequação da linguagem etc. são examinados do ponto de vista da prática da escrita.
Os participantes devem ter alguma experiência anterior de produção literária. 

Programa:

As sessões são semanais. Antes de cada sessão, quatro contos são distribuídos por email a todos os participantes. Durante as sessões, os contos previamente distribuídos são analisados pelos participantes e pelo coordenador, recebendo sugestões de alterações se for o caso.
Ao longo do período, cada participante deve submeter quatro contos à análise na oficina. Todos os contos são enviados ao coordenador, que os distribui para serem debatidos na sessão seguinte, dando prioridade aos participantes que até a semana anterior tiveram menos contos analisados

Orientador:

João Paulo Vaz

Autor dos livros de contos: Sete Estações (2003), A Mão do Chefe (2004) e Sexmaster 5 e outras Histórias (2008), e da novela Greg Sam (2015). Recebeu, entre outros, os prêmios Mario Quintana, Josué Guimarães e Off-Flip

Bibliografia Básica

  • PIGLIA, Ricardo; Formas breves, Companhia das Letras, 2004.

  • GODOI, Marcílio. Cinco ou seis coisas que eu aprendi com o Joca — e outras que aprendi escrevendo, SORTE & AZAR S/A, 2021. Disponível em: jocareinersterron.wordpress.com. Acesso em 23/11/2021

 

Oficina da crônica II

11/08 e 24/11

5as. feiras – das 19h30 as 21h30  | Carga horária: 32h

A crônica é um gênero literário híbrido, que oscila entre a literatura e o jornalismo. De aparência simples,informal, casual, a crônica é, no entanto, um gênero de difícil manejo. Gênero, por excelência, do Eu, ela trabalha, contudo, um Eu que, ele também, oscila entre a realidade e a ficção. Nunca sabemos se um cronista "fala a verdade"ou se, ao contrário, ele inventa. O leitor nunca sabe onde está pisando, e é esse estado de suspensão e de dúvida que torna a crônica tão atraente. A ideia de nossa Oficina de Crônica 2 é partir,sempre, da prática da escrita. Partir do processo e nele se fixar. Trabalharemos a partir de rascunhos de crônicas trazidos pelos alunos. Eles serão lidos em voz alta, discutidos por todos, pensados em conjunto. Operação que, a cada encontro, se repetirá - até que cheguemos a textos prontos.

Programa:

Os alunos serão listados aleatoriamente em uma ordem de leitura. Duas ou três crônicas em andamentos serão lidas e discutidas em cada encontro - não apenas por mim, "leitor regente", mas por todos os participantes. A ideia é realizar um trabalho em conjunto, em que todos os pontos de vistas e perspectivas sejam acolhidos e incluídos no debate. Não serão propriamente aulas, mas laboratórios vivos de escrita. É no processo e no diálogo que faremos nossas apostas.

Orientador:

José Castello

Escritor e crítico literário, colaborador regular do “Rascunho” e do suplemento “Pernambuco”. Foi colunista semanal do suplemento “Prosa & Verso”, de O Globo, e cronista semanal de O Estado de S. Paulo. Escreveu, entre outros, “O poeta da paixão”, biografia de Vinicius de Moraes, e o “Inventário das Sombras”, reunião de retratos literários que será relançada, em edição ampliada, em 2022.

Bibliografia Básica

Estes são apenas livros de referência. Não serão lidos, ou debatidos em nossos encontros. Mas podem e devem ser usados pelos participantes como fontes de inspiração e reflexão.

1- As 200 melhores crônicas de Rubem Braga, editora Record. 
2- A descoberta do mundo, reunião das crônicas de Clarice Lispector, editora Rocco. 
3- Na barriga do lobo, de Luis Henrique Pellanda, editora Arquipélago.
4- Dia de amar a casa, de Mariana Ianelli, editora Ardotempo. 
5- O espalhador de passarinhos, de Humerto Werneck, Companhia das Letras. 
6- As melhores crônicas de José Castello, organização de Leyla Perrone Moisés, Global Editora.

 

Literatura para crianças e jovens II

15/08 e 28/11

2as. feiras – das 19h30 as 21h30  | Carga horária: 32h

Em breve

Programa:

Em breve

Orientadora:

Em breve

Em breve

Bibliografia Básica

Em breve